Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

De Oeiras

Notas de um lisboeta, criado em Caxias, despachadas de Oeiras

De Oeiras

Notas de um lisboeta, criado em Caxias, despachadas de Oeiras

20.11.19

A Poda Em Oeiras


Tó Zé Rodrigues

74605479_10214800643028542_1160865596376612864_n.j

A Poda em Oeiras

                                                                    A Poda é um tema que me encanta,
                                                                    tal como o enxerto que se faz,
                                                                    fazendo da política planta,
                                                                    colando técnica a quem a faz,
                                                                    e tudo o mais não existe...
                                                                    tudo isto é fado,
                                                                    tudo isto é triste...

                                                                                                           Tó Zé Rodrigues

                                                                                              [ tzrajar 201911200920 ]

 

 

                                                                                                           

 

 

30.10.19

Neste mundo tão fechado


Tó Zé Rodrigues

IMG_20191027_102514[1].jpg

Foto: Tó Zé Rodrigues

Corrida Montepio (7a.) - 27/10/2019 - "nós corremos pelos outros"

 

Neste mundo tão fechado
Por cercas de estupidez
"nós corremos pelos outros"
Pela enésima vez

Ou caminhamos apenas
Arrastados na multidão
Estendendo com alegria
Aquilo que temos na mão

Não sabendo a valia
De cada pequeno passo
Que para nós não é nada

Mas prós outros vale o ouro
Medalha de amizade
O nosso maior tesouro.

Tó Zé Rodrigues

[ tzrajar 201910280436 ]

16.06.19

Manifesto Pró-Tó-Político


Tó Zé Rodrigues

60904013_10213638992147996_394596813195182080_o.jp

 

 

 

 

 

 

 

Aos Candidatos a políticos de trazer por casa

Que usam a infâmia e o desconhecimento

A suspeita e a inveja
Para alcançarem o que tanto querem
Enquanto outros sofrem
Eles arrotam cerveja!

 

                   [Comentário a post do Facebook]

 

Ao poder os que não estão lá!
Faça-se isso!
Faça-se já!
E Constâncio quem é?
Um nome citado para enganar o Zé!
Que interessa a Nação
A quem quer roubar
E esconder a mão?
Chegar ao poder
Não dizendo quem é
Ou o que quer fazer!
Campanhas de veneno
Para abater quem quer engolir
Para apanhar quem estiver a dormir...

Isto digo eu que não sou um robô
Que os topo à distância
Como o meu avô...

  Tó Zé

[ tzrajar 201906150527 - FB]

29.05.18

"As Alunas das Doroteias" de Natália Correira. por Maria Aguiar


Tó Zé Rodrigues

 

Maria Aguiar diz o poema "As Alunas das Doroteias" de Natália Correira. Em Paço de Arcos, no Salão da Primavera (organização de "Associação A Voz de Paço de Arcos" e de "Paço de Artes Associação dos Artistas Plásticos de Paço de Arcos"), na sessão de poesia e contos promovida pelo "Clube de Poetas de Paço de Arcos", no dia 26-05-2018.

 

Tó Zé

29.05.18

Poemas de Fernando Pessoa, por José Lança-Coelho


Tó Zé Rodrigues

 

José Lança-Coelho apresenta dois semi-heterónimos de Fernando Pessoa, o Dr. Pancrácio e Joaquim Moura Costa, e diz três poemas, "Epigrama" (1905) do Dr. Pancrácio, e de Joaquim Moura Costa "A rainha Dona Amélia" e "Plagiário". 

 

Em Paço de Arcos, no Salão da Primavera (organização de "Associação A Voz de Paço de Arcos" e "Paço de Artes Associação dos Artistas Plásticos de Paço de Arcos", sessão de poesia e contos promovida pelo "Clube de Poetas de Paço de Arcos", no dia 26-05-2018.

 

Tó Zé

 

29.01.18

É o desafio da escrita


Tó Zé Rodrigues

Fernando-Pessoa-04-1.jpg

 

 

É o desafio da escrita

Que inspira quem sonha e sente

A contar história nova

Sendo antiga mas diferente.

 

Será diferente na forma

E também será no tempo

Imaginário e real

Unidos num só momento.

 

O momento da verdade

O instante de paixão

A paixão jamais esquecida

O partir do coração.

 

Será real a alegria?

Ou uma simples ilusão?

Será coisa já sentida?

Vão sabê-lo, atenção!

 

 

[texto da personagem Fernando Pessoa, cena de abertura da peça “ Sou Eu, A Cinderela... “ de Florbela de Oliveira ]

[autoria deste texto: Tó Zé Rodrigues; Janeiro de 2013]