Notas de um lisboeta, criado em Caxias, despachadas de Oeiras

Sábado, 4 de Março de 2017
Perdi-me nos versos de Sophia

 

Estrela 2.jpg

 

                                            Para A.

 

Perdi-me nos versos de Sophia

Viajei incansável por aí

Segui uma estrela como tantos

Mas só me encontrei em ti.

 

ajar.\

04-03-2017



publicado por Tó Zé às 17:17
link do post | comentar | favorito
|

Mulher coragem

 

Margem em Caxias.jpg

 

 

                       Para A.

 

Mulher coragem

Mulher tão doce

Na minha margem

Nova alvorada

Luz do olhar meu

Eterna esperada

Quero-te tanto

Ò minha amada

 

14-02-2017

ajar.\



publicado por Tó Zé às 16:52
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 25 de Agosto de 2016
Claro

Um Claro não é um sim nem um talvez

Não, é um vazio de pensamento

É um escuro na noite em que não vês

É a resposta dada no momento

 

Claro será um programa de ação 

Um dissílabo tão contraditório

Que pode limitar toda uma vida

Às paredes brancas de um dormitório

 

Um beco sem saída um labirinto

Círculos sem fim num estudo de Nery

Uma verdade dita quando minto

 

Passos suspensos sem sair daqui

Negam à evidência o que eu sinto

Por esta por aquela ou só por ti?

 

Tó Zé

25-08-2016



publicado por Tó Zé às 18:20
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 4 de Abril de 2015
Ò ânsia, não sei de quê...

20150321_120510.jpg                               

                                Ò ânsia, não sei de quê...

                                Esta angústia vence o sol

                                O que faço não se vê

                                Minha vida é um dó bemol.

                                Com esforço continua

                                Diáriamente a batalha

                                É como uma espada nua

                                Que a minha vida talha.

                                Como nuvens de um passado

                                Sombras sobre a terra crua         

                                Lembranças leva-as o tempo

                                E a vida continua

                                Sendo presente o momento

                                de um ciclo que sempre dura.


sinto-me:

publicado por Tó Zé às 14:27
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 26 de Outubro de 2014
Eu não perco

 

Eu não perco o que não tenho

Mas tudo o que tenho eu perco.

Entre as certezas da vida

Será o que tenho mais certo.

 

Tó Zé

(Oeiras, 26/10/2014)



publicado por Tó Zé às 11:04
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 6 de Dezembro de 2013
Mais tarde

                                                              (cronologia do tempo presente)

             

Amanhã será hoje,

Hoje amanhã ontem será,

Agora estou aqui,

Mais tarde sabe-se lá.

 

Tó Zé



publicado por Tó Zé às 21:43
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 17 de Agosto de 2012
Essência

 

                       Para Condesa



Quiz escolher a essência 

Nesta quadra de Natal

Mas perdi o olhar no Tejo

Vendo o azul de um postal.

 

A essência de Condesa,

O azul de um azulejo,

Toda a sua beleza,

O seu brilho de cristal.

 

Assim os possa aceitar

E não leve nada a mal

Com os votos de um Bom Ano

E de um Santo Natal.

 

António (2011)



publicado por Tó Zé às 04:48
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 3 de Abril de 2012
Pêra Doce

                                                            A uma Pêra Doce

 

Pêra triste abandonada

Apanhada pela sorte

Mesmo assim mal empregada

Podia ter outra morte.

 

Oeiras (03-04-2012 às 03:43)

 

Tó-Zé

 

  PS: afinal a pêra não morreu,

        quem a comeu fui eu;

        juro mesmo,

        mas ainda estava boa.

        ("Não rima mas é verdade").

        Ah, comi-a em Lisboa.

 

                            Oeiras (05-04-2012)

                            Tó-Zé    


 


sinto-me: Contente

publicado por Tó Zé às 03:53
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 1 de Janeiro de 2011
Bem vindo dois mil e onze

Bem vindo dois mil e onze,

Um Novo Ano bendito.

Que tragas os dias certos

Neste caminho infinito.

 

Neste caminho de estrelas

e de pontinhos de luz,

Em que em data incerta

Terá nascido Jesus.

 

Que importa o seu começo

Ou onde nos  vai levar.

Vivamos no presente

 

Momentos para amar

Um minuto um milhar

E mais tarde recordar.

 

Tó Zé




publicado por Tó Zé às 09:19
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 12 de Dezembro de 2010
Como o lenço faz o laço

Como o lenço faz o laço

o ecrã limita o espaço

onde a emoção se produz,

memória de criança

como genética herança

num breve piscar de luz.



publicado por Tó Zé às 07:32
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Perdi-me nos versos de So...

Mulher coragem

Claro

Ò ânsia, não sei de quê.....

Eu não perco

Mais tarde

Essência

Pêra Doce

Bem vindo dois mil e onze

Como o lenço faz o laço

arquivos

Março 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Agosto 2016

Abril 2015

Outubro 2014

Dezembro 2013

Agosto 2012

Abril 2012

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Agosto 2010

Dezembro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Agosto 2007

Julho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds