Notas de um lisboeta, criado em Caxias, despachadas de Oeiras
Domingo, 19 de Agosto de 2007
Visão

Tudo que faço ou medito
É qual visão no deserto
Ao longe vejo tanta água
Nada porém vejo ao perto

Dunas de areia imensa
São as ondas desse mar
Onde um pobre marinheiro
Não faz mais do que sonhar

Que importa o que não vejo
Face aquilo que procuro
Amanhã o sol clareia
Depois de um breu escuro

   Tó Zé
(19-08-2007)


sinto-me: Contente
tags: ,

publicado por Tó Zé às 15:29
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


posts recentes

Perdi-me nos versos de So...

Mulher coragem

A Vida ao contrário

Eu sou do ar

Claro

STOP

Ò ânsia, não sei de quê.....

Eu não perco

Mais tarde

Essência

arquivos

Março 2017

Janeiro 2017

Novembro 2016

Agosto 2016

Abril 2015

Outubro 2014

Dezembro 2013

Agosto 2012

Abril 2012

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Agosto 2010

Dezembro 2009

Janeiro 2009

Outubro 2008

Agosto 2007

Julho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds